A Primeira “Cicloficina do Oriente”

A primeira Cicloficina do Oriente – Bike Mãozinhas – foi uma surpresa agradável. As expectativas não eram altas. O originador do evento tinha-se mentalizado que ia dedicar grande parte do tempo que ia passar naquele espaço de excelência que é o Parque Tejo a fazer pequenos retoques na sua própria bicicleta há algum tempo adiados. Mas o convívio com os demais “mecânicos” voluntários e os “clientes” que foram aparecendo levaram a que aquela bicicleta tenha chegado ao fim do dia mais uma vez por tratar.

Os bike mãozinhas Michael Brown, João Pimentel Ferreira, Nuno Gonçalves e João Bernardino fizeram um bom trabalho. Os cinco clientes que apareceram pareceram ir embora satisfeitos com o desempenho renovado das suas máquinas a pedal e alguns conhecimentos de mecânica da bicicleta na bagagem. Prometeram voltar.

A Inês afinou os travões e chegou à conclusão que os barulhos da corrente já não vão melhorar muito sem novo material. O Filipe aprendeu a remendar um furo que tinha e já pôde regrassar a Moscavide a pedalar. Claramente andava a precisar de aprender este tipo de operação dada a grande utilização que já faz das suas bicicletas! Uma jovem apareceu com o amigo desenrascado à procura de um extractor de corrente para arranjar uma corrente partida de uma bicicleta de montanha que claramente esteve muitos anos na garagem e está a iniciar a sua segunda vida. Já traziam a lição estudada e safaram-se sem ajuda. Quanto à bicicleta necessita de alguma manutenção, talvez em próximas oportunidades! O Bruno andava a sentir que os travões já não eram o que foram noutros tempos e apareceu em busca de aconselhamento. Finalmente o caso do João foi o mais bicudo. A sua bicicleta fazia uns estalidos esquisitos de origem não identificada. Depois de muita porca e parafuso apertados e ouvido apurado junto a componentes críticas da bicicleta ficámos sem perceber o problema. Um caso de mecânica avançada talvez a resolver por profissionais… Quanto às porcas, essas só voltam a ter que ser apertadas daqui a algum tempo!

Paralelamente ainda houve um pic-nic com familiares e amigos de alguns dos mãozinhas. Talvez em futuras ocasiões com participação mais alargada da comunidade da Cicloficina do Oriente…

Quanto ao nome “Oriente” foi bem escolhido, pela abrangência de locais de proveniência dos participantes. Esta cicloficina teve “mecânicos” e “clientes” vindos do próprio Parque das Nações, de Moscavide, Sacavém e Marvila.

No final, os “mecânicos” participantes estavam unanimemente motivados para continuar (obrigado aos “clientes” pelo feedback positivo!). Combinaram repetir o evento uma vez por mês.

Sendo assim, até à primeira Terça do mês que vem!

Anúncios