Para a praia: carro VS bicicleta

Nos dias de fim de semana com bom tempo, vai tudo para a praia. Às vezes, ao final do dia, depois de horas presos no trânsito, rogamos pragas por não termos ficado em casa ou queixamo-nos dos outros não terem nada melhor que fazer do que ir para a praia  de carro logo no dia em que também fomos!

Sendo um dado adquirido que se vai passar muito tempo a viajar para usufruir da bendita praia, temos duas opções. A primeira é passar esse tempo a remoer dentro de um carro… a segunda é fazer uma viagem que vale por si, e é divertida, saudável e amiga do ambiente e da cidade… de bicicleta e comboio ou barco!

Para a Costa ou para a Linha, chega-se bem à praia de bicicleta e comboio ou barco!

Este fim de semana passei pelas duas experiências.

No Sábado, fui com a família de carro para a Costa e perdemos três horas do dia fechados no carro.

No Domingo, as nossas respetivas mulheres estavam em outras paragens e eu, o Gonçalo Peres e os nossos filhos, fomos até à Linha. Do Parque das Nações ao Cais de Sodré em bicicleta, o resto em comboio. O Diego (5 anos) na sua bicicleta, os outros três nas cadeiras. Muito bom!

Nem sempre tudo são rosas. No regresso, os comboios vinham tão cheios que só conseguimos apanhar o comboio de regresso porque o apanhámos antes de Carcavelos – ao lado, uma marginal tão agradável mas muito pouco ciclável ainda não é uma alternativa viável para quem queira fazer a viagem sem ser de automóvel.

Contas feitas, perde-se um tempo semelhante em viagens, mas na segunda opção esse tempo pode mesmo ser passado de forma divertida e saudável. Hora ganhas, não perdidas! E a diferença de custos dá para comprar gelados para todos.



fotografia 1 (1)

fotografia 2 (1)

DSC_1179

fotografia 3

 

DSC_1206

Anúncios